Iniciativa tem entre seus objetivos tornar a escola mais atrativa para os estudantes

A gastronomia foi utilizada pela Escola Estadual Afrânio de Melo Franco, em Belo Horizonte, para discutir fatos que marcaram a história do Brasil. Durante cerca de três meses, os estudantes do ensino fundamental e do ensino médio desenvolveram estudos nas aulas de história e para a culminância realizaram a “Feira de História”.

“A nossa ideia era contar a história do Brasil sob um ponto de vista diferente. A partir de uma proposta mais lúdica dividimos a escola em equipes e cada uma ficou responsável por pesquisar um fato histórico. Depois da pesquisa eles deveriam montar um prato que traduzisse o conteúdo estudado”, conta a professora de história, Cynthia de Araújo.

Feira contou com participação de todos os estudantes da escola. Foto: Arquivo da Escola

Para falar sobre escravidão o prato principal foi a feijoada. O tropeiro foi utilizado para contar a história dos bandeirantes e o açaí para falar sobre a ocupação da região norte do país e da expansão das fronteiras. “Além dos pratos, os alunos também produziram painéis que contam um pouquinho do fato histórico abordado”, afirma Cynthia.

O aluno do 3º ano do ensino médio, Leandro do Vale, destacou a importância da iniciativa para o aprendizado dos alunos. “Ações como essa facilitam o aprendizado. É uma forma de envolver os alunos e fomentar a discussão de diferentes temas”.

A Feira de História foi realizada na última semana, entre os dias 19 e 20 de setembro.

Entre os objetivo da está tornar a escola ainda mais atrativa para os estudantes.Foto: Arquivo da Escola

Uma escola mais atrativa

A Feira é uma das ações realizadas pela escola com o objetivo de tornar a unidade de ensino mais atrativa para os estudantes, reduzindo assim o abandono escolar, é o que explica a diretora Adriana Maria Cardoso. “É tudo no sentido de buscar os alunos e fazer com que eles permaneçam na escola. Estamos fazendo um movimento grande: temos aulas de informática, cursos de dança e parcerias com uma ONG que vai ofertar cursos na escola. Queremos movimentar a escola e resgatar cada vez mais alunos”.