Escola Estadual Coronel Aristides Batista está discutindo as possibilidades que o exame oferece, buscando incentivar o ingresso dos alunos no ensino superior


Ibiaí é uma cidade do Norte de Minas que, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), conta com cerca de 8 mil habitantes. Este ano, na Escola Estadual Coronel Aristides Batista, a única da região central do município que oferta o ensino médio, os educadores estão desenvolvendo ações que têm como objetivo mudar a realidade dos jovens. Um levantamento feito por eles mostrou que apenas dois dos cerca de 70 estudantes que concluíram o ensino médio ano passado estão cursando o ensino superior.

“Percebemos que muitos dos nossos alunos não estão ingressando no ensino superior e que alguns desconhecem as possibilidades que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) oferta. Por isso, escrevemos o projeto. No nosso município não temos faculdade e a mais próxima fica em Pirapora que fica a 70 km”, ressalta o professor de Biologia e um dos idealizadores da iniciativa, Kléber Henrique Freitas Martins.

Na escola, o primeiro passo foi estimular os estudantes a pedir a isenção da taxa de inscrição. Foto: Arquivo da Escola

As ações do projeto começaram no mês de abril quando teve início o período para solicitação da isenção no exame. “Acompanhamos todos os passos dos estudantes no Enem. Em abril falamos sobre a taxa de isenção e levamos os alunos que queriam para o laboratório de informática para que eles pudessem fazer o pedido. No período da inscrição fizemos a mesma coisa. Agora estamos preparando para a prova. Também vamos fazer simulados nos moldes da prova do Enem. O nosso objetivo é ajudar a aumentar os índices de jovens no ensino superior”, destaca o educador.

Em sala de aula, os professores trabalham as questões do Enem e estão organizando os simulados que serão aplicados para os estudantes. O primeiro acontecerá na próxima quarta-feira (3/7). Para o aluno do 3º ano do ensino médio, João Pedro Cardosos de Oliveira, a ação desenvolvida pela escola vai ajudar muito na preparação dos jovens. “É uma ideia muito boa. Na nossa cidade não temos cursinho preparatório e muitos não teriam condições de pagar, então o projeto vai nos ajudar muito. Vai nos dar uma base”, afirma.

Maria Eduarda Gonçalves Oliveira também está no 3º ano do ensino médio. Ela fez o exame em 2018 para conhecer a prova, mas não se preparou. “Ano passado eu fiz, mas fui muito despreparada. Só tinha me preocupado em ficar por dentro das notícias. Esse ano vai ser melhor. Eu e meus colegas estaremos mais preparados”, conta a estudante que pretende cursar direto.

Em sala de aula, os professores trabalham com questões antigas do Enem. Foto: Arquivo da Escola

O Enem

De acordo com dados do Ministério da Educação (MEC), foram confirmadas mais de 5 milhões de inscrições de candidatos de todo o país. Deste total, mais de 534 mil são mineiros. As provas do Enem serão aplicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em dois domingos: nos dias 3 e 10 de novembro.

No primeiro dia do Exame serão aplicadas as provas de Linguagens; Códigos e suas Tecnologias; Redação e Ciências Humanas e suas Tecnologias. Já no segundo dia do exame serão aplicadas as provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias. A aplicação terá 5h de duração.

Possibilidades

As notas do Enem permitem ao estudante se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), sistema informatizado do MEC que condensa as vagas de universidades públicas de todo o país. No caso de o aluno optar por universidades privadas, o Enem é necessário para acessar as modalidades de financiamento ofertadas pelo Governo Federal como, por exemplo, o Programa Universidade Para Todos (ProUni) que oferta bolsas de estudo. Outra modalidade que também tem como pré-requisito a realização do Enem é o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).