Foto: Marcus Cicarini

As Paralimpíadas Escolares, maior evento mundial para crianças com deficiência em idade escolar, estão ocorrendo em São Paulo (SP). Os jogos vão até o dia 26 de novembro e a delegação mineira conta com 103 estudantes-atletas que disputarão nove modalidades: atletismo, bocha, futebol PC, goalball, judô, natação, parabadminton, tênis em cadeira de rodas e tênis de mesa. Medalhista em edições anteriores, o judoca belo-horizontino, Daniel Batista Pereira, de 17 anos, chega à capital paulista com grande expectativa de conquistar medalha.

Daniel é aluno da EE Carlos Drummond de Andrade, de Belo Horizonte, e já velho conhecido da delegação mineira nas Paralimpíadas Escolares. Em 2017 e 2018 foi medalha de prata e em 2019 esteve no lugar mais alto do pódio, trazendo a medalha de ouro.

“A emoção não é só a medalha. Não é somente o prêmio que significa alguma coisa. A experiência da viagem, a oportunidade que estou tendo na vida, tudo é gratificante. Eu tenho a capacidade de ter uma vida normal como qualquer outra pessoa, mesmo tendo dificuldade visual e auditiva. Esses jogos significam isso, que eu posso ter um monte de oportunidades. O esporte deu sentido aos meus sonhos”, afirma o judoca, que se inspira em Antônio Tenório, maior judoca paralímpico brasileiro da história.

Na etapa nacional, Minas Gerais será representada por estudantes-atletas de 33 escolas e instituições de 18 municípios: Araxá, Belo Horizonte, Betim, Ibirité, Ipatinga, Itabira, Jesuânia, Naque, Oratórios, Pará de Minas, Patrocínio, Pitangui, Poços de Caldas, Resplendor, Sarzedo, Timóteo, Três Corações e Uberaba.

As Paralimpíadas Escolares são uma realização do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e do Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial de Esporte (SEE), e tem por finalidade estimular a participação dos estudantes com deficiências físicas, visuais e intelectuais em atividades esportivas, promovendo ampla mobilização em torno do esporte.

Foto: Marcus Cicarini

O Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG) foi a seletiva para a participação dos estudantes-atletas. O JEMG é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese/MG), por meio da Subsecretaria de Esportes, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE/MG). A execução técnica é de responsabilidade da Federação de Esportes Estudantis de Minas Gerais (FEEMG).


Maior evento com crianças com deficiência

As Paralimpíadas Escolares tiveram a sua primeira edição em 2009. Este é o maior evento mundial para crianças com deficiência em idade escolar. Talentos do paradesporto brasileiro já passaram pelas Escolares, como os velocistas Alan Fonteles, ouro em Londres 2012; Verônica Hipólito, prata no Rio 2016; Petrúcio Ferreira, recordista mundial nos 100m (classe T47); o nadador Talisson Glock, prata no Rio 2016; o jogador de goalball Leomon Moreno, prata no Jogos de Londres e bronze no Rio 2016; a mesa-tenista Bruna Alexandre, bronze no Rio 2016, entre outros.

No ano passado, a competição contou com mais de 900 atletas de 25 estados.

 

Fotos: Marcus Cicarini/FEEMG