Segunda edição distribuiuR$ 100 mil para cada um dos 350 prêmios, divididos em duas categorias

Trabalho dedicado dos professores, uma boa gestão e a participação da comunidade escolar são algumas das estratégias presentes nas escolas estaduais que se destacaram na segunda edição do Prêmio Escola Transformação e que foram apresentadas nesta quinta-feira (21/10) durante live realizada pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG).

O bate-papo virtual foi conduzido pela secretária de Estado de Educação, Julia Sant’Anna, e contou com a participação de gestores de unidades de ensino premiadas nesta segunda edição. Quem não conseguiu acompanhar a live ao vivo pode clicar AQUI para acessar o conteúdo.

Logo no início do encontro, Julia Sant’Anna destacou a importância do momento para trocar experiências e conhecer as diferentes histórias contadas pelos gestores. “Ficamos muito felizes de poder estar junto com cada um de vocês. Neste evento, temos histórias lindas de diretores atentos ao que é necessário fazer para garantir a participação dos estudantes. São histórias de escolas muito pequenas e outras muito grandes. É muito interessante ver como o nosso estado é diverso e como é possível promover transformações”.

Durante a conversa, a secretária também parabenizou as escolas premiadas e agradeceu o empenho dos profissionais. Ela elogiou as opções de projetos escolhidos pelas unidades de ensino. “Fiquei muito feliz com a quantidade de prêmio escolhidos e com o fato da grande maioria deles serem voltados para o desenvolvimento pedagógico. Entre os mais escolhidos estão ‘aprendizado além muros’, ‘rádio escolar’ e ‘bandas de fanfarra’”.

Nesta segunda edição do Escola Transformação, os 350 prêmios foram distribuídos para 291 escolas. Dessas, 237 foram premiadas em apenas um nível de ensino, 49 escolas foram premiadas em dois níveis e 5 agraciadas em três níveis.

Foto: Divulgação SEE/MG

São R$ 100 mil para cada um dos 350 prêmios, divididos em duas categorias. A categoria 1 é destinada a escolas com maiores pontuações no Índice Escola Transformação (Inest-2), que leva em consideração os resultados da Primeira Avaliação Trimestral e a carga horária e nota dos estudantes no primeiro bimestre. Já na categoria 2, foram premiadas as unidades de ensino com maiores variações percentuais positivas entre o Inest 1 – que leva em consideração os resultados da Avaliação Diagnóstica - e o Inest 2.

Júlia Sant’Anna também aproveitou para anunciar que, no dia 29 de outubro, será divulgada a lista preliminar com os premiados na terceira etapa do Escola Transformação.

Vencendo desafios

A Escola Estadual Coronel Luís Pires de Minas, no município de Coração de Jesus, foi premiada nos Anos Iniciais, Anos Finais e Ensino Médio na Categoria I. O diretor, Alex Sandro Feliciano da Silva, destacou os desafios encontrados. “Estamos muito contentes com a premiação. A nossa escola está localizada em uma comunidade rural e o acesso tecnológico é complicado na nossa região. A solução que encontramos foi disponibilizar as avaliações impressas para os nossos alunos. Eles encaminhavam os gabaritos e os professores faziam a inserção na plataforma”, contou.

A diretora da Escola Estadual Santo Antônio, localizada no município de Miraí, Renata Capobiango, contou que a partir da avaliação diagnóstica fez uma mudança de estratégia para garantir maior participação dos alunos. “A gente sempre trabalha alinhando essas rotas. Na primeira avaliação, a gente teve uma proposta e achamos que não deu certo. Então acionamos um grupo de professores que ajudaram a construir a proposta de montar um coordenador por turma para auxiliar tanto dentro do aplicativo quanto nos grupos de mensagem. Também mobilizamos os líderes de turma para auxiliar na campanha”.

Emocionada, Renata também falou de sua relação com a escola. Ela foi aluna da unidade de ensino, professora e hoje atua como gestora.

Aprendizado

Na Escola Estadual Quintino Vargas, no município de João Pinheiro, a estratégia foi manter o contato constante com os alunos. “Usamos vídeos de incentivo e parabenizamos os estudantes que conseguiam fazer a avaliação. Os professores estiveram junto deles o tempo todo, sempre em contato. Acho que esses foram alguns dos diferenciais para essa conquista maravilhosa”, ressaltou a diretora Dayse Cristina da Silveira. 

Ainda segundo a gestora, com o passar do tempo a escola foi ampliando as ferramentas tecnológicas ofertada aos estudantes e utilizada pelos professores. Ela também destacou o desenvolvimento conquistado pelos profissionais durante o ensino remoto. “A palavra que traduz esse trabalho que temos desenvolvido dentro do Regime de Estudo não Presencial é gratificação. O crescimento profissional de toda equipe e socioemocional também foi muito grande, em um tempo muito curto”, finaliza.

Comunidade escolar próxima

Cleunice Alves Nogueira, diretora da Escola Estadual Getúlio Vargas, no município de Timóteo, afirmou que, mesmo com a distância, durante o ensino remoto, houve um estreitamento de relações e a escola buscou sempre estar em contato com os pais e alunos. Ela também destacou as ações realizadas pela escola. “Todas as devolutivas e atividades são compartilhadas por meio de planilhas com todos os profissionais. Agimos de uma forma onde todos têm acesso às informações e também trabalhamos utilizando cronogramas”.

Ela também falou da alegria em ser premiada. “É um privilégio muito grande estar aqui depois de tantos desafios. Não podemos parar e ficar lamentando sobre os problemas. Eles estão ali para ser superados”, concluiu.

Projetos

Todos os gestores contaram um pouquinho sobre os projetos que serão desenvolvidos com  o recurso recebido como premiação. Pela Escola Estadual Padre João Botelho, em Belo Horizonte, a diretora Eliani Geralda de Oliveira Franca destacou que os projetos escolhidos irão complementar as ações que a escola já desenvolve. “Escolhemos rádio escolar, que tem tudo a ver com o que desenvolvemos na escola, e o Aprendizagem além do muro. Serão muito bem-vindos e vão agregar muito ao nosso trabalho”.

Eliani, que já está na direção da escola desde 1997,  falou sobre os avanços e investimentos da atual gestão da SEE/MG nas escolas. “Nesses tempos, temos que reconhecer os grandes avanços. Não falta mais recurso na escola. O diretor trabalha na expectativa da gestão pedagógica e tem todo um aparato de recursos e possibilidades”.  

O Prêmio

O Escola Transformação é uma iniciativa da SEE/MG que tem como objetivo reconhecer, publicamente, as práticas e experiências exitosas das escolas estaduais no processo de melhoria da qualidade do ensino.

Até o final do ano letivo, terá mais uma edição da premiação e ela também irá reconhecer as unidades de ensino que obtiverem os melhores resultados e maiores evoluções no Índice Escola Transformação (Inest). São considerados, ainda, a taxa de participação nas avaliações e a utilização, pelos professores, da plataforma online de ensino oficial da SEE/MG, o Google Sala de Aula.

Outras informações sobre o Prêmio podem ser acessadas no siteestudeemcasa.educacao.mg.gov.br

 

Enviar para impressão