Maior aporte de recursos, R$ 35 milhões, foi destinado para a Unimontes. Foto: Divulgação Unimontes

 

As universidades estaduais e fundações ligadas à Educação receberam mais de R$ 65 milhões da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) para investimentos em infraestrutura, manutenção e desenvolvimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão e da prestação de serviços. Foram destinados mais de R$ 35 milhões para a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e mais de R$ 26 milhões para a Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG). Já a Fundação Helena Antipoff e a Fundação Educacional Caio Martins (Fucam) receberam R$ 2 milhões cada.

A destinação dos recursos foi comemorada pela subsecretária de Ensino Superior, Augusta Isabel Junqueira Fagundes. Segundo ela, os investimentos demonstram o esforço da administração estadual, apesar da situação financeira, em valorizar a educação em todas as suas modalidades. “Tanto a Unimontes quanto a UEMG são universidades reconhecidas pelos seus cursos e corpo docente de excelência e que hoje mantêm polos em diferentes regiões do estado. Esse aporte vem ao encontro do compromisso social delas com a população mineira”, destaca.

A subsecretária Augusta ainda reforça o protagonismo das universidades nas regiões em que seus câmpus estão localizados. “O montante direcionado ao Hospital Universitário Clemente de Faria, em Montes Claros, o único genuinamente público na região e que recebe pacientes de outros estados, mostra o reconhecimento do seu papel e importância para o norte de Minas. Ainda mais neste momento de pandemia”, afirma.

Unimontes

O reforço já disponibilizado à Unimontes foi de R$ 30 milhões, suplementação orçamentária que foi publicada na edição de 10 de março do Diário Oficial do Estado. Além desse valor, também está prevista a liberação de outros R$ 5,6 milhões em recursos financeiros para quitação de restos a pagar do Programa Brasil Profissionalizado.

No Hospital Universitário Clemente de Faria os investimentos contemplam a conclusão dos prédios do Biotério e do Laboratório em Pesquisa em Saúde, além de reforma da UTI NeoNatal e aquisição de um gerador. A Unimontes vai adquirir um mamógrafo de alta definição, um sistema digital de raio-X móvel e incrementará o tratamento de água para o setor de hemodiálise.

O reitor na Unimontes, Antonio Alvimar Souza, destaca que esse é um aporte histórico, pelo volume de demandas que poderão ser atendidas. “A liberação de recursos também resulta do diálogo permanente que os gestores da instituição têm com o Estado e as diversas secretarias, compartilhando as reais necessidades de professores, servidores, acadêmicos e colaboradores da instituição", observa.

Os recursos também serão usados na aquisição de instrumentos cirúrgicos e de máquinas para automatizar a distribuição dos medicamentos no almoxarifado e na farmácia. Com o valor também será possível finalizar obras em curso, como no Centro Tecnológico do campus-sede.

UEMG

Para a UEMG, os investimentos serão para reestruturação dos laboratórios de informática, física, química e biologia; modernização do mobiliário das bibliotecas; aquisição de veículos para as atividades de ensino, pesquisa e extensão. Além disso, a verba ainda vai garantir a reforma e revitalização de várias unidades acadêmicas; estruturação das fazendas experimentais; criação das subestações das unidades de Frutal e Ituiutaba e a manutenção da represa da Fazenda Experimental de Passos, entre outras obras.

Para a reitora da UEMG, professora Lavínia Rosa Rodrigues, os recursos são importantes e se adequam à política de expansão que a universidade vivencia e ao pleito que vem sendo defendido pela gestão. Segundo ela, a UEMG aumentou em mais de quatro vezes seu corpo estudantil e expandiu seu número de unidades acadêmicas de 10 para 20 ao longo dos últimos 8 anos, alcançando 16 municípios, em diversas regiões de Minas Gerais. Lavínia ainda ressalta que o investimento vai garantir mais qualidade de ensino à universidade. “Trata-se de um primeiro passo muito importante e que contribuirá, de maneira efetiva, para a consolidação da UEMG como uma instituição de ensino superior de excelência”.

Fundações

Da mesma forma que nas universidades, as fundações vinculadas à SEE/MG - Fundação Helena Antipoff e a Fucam - também receberam investimentos que serão utilizados para melhoria da infraestrutura das unidades. Cada uma delas recebe R$ 2 milhões.