O Ensino Médio de Tempo Integral (EMTI) ofertado pelas escolas públicas estaduais de Minas Gerais tem conquistado não só os estudantes, mas também os pais e/ou responsáveis dos alunos. Muitos relatam os benefícios que esse tipo de ensino tem proporcionado aos filhos ao longo da trajetória escolar e como tem auxiliado no crescimento educacional. Ao ver o desenvolvimento dos jovens, os familiares aprovam e recomendam a iniciativa.

É o caso, por exemplo, da Heloísa Augusta Barbosa de Souza, que tem vários elogios à modalidade. Ela é mãe da Isabela, aluna da Escola Estadual Maria Luiza Miranda Bastos, que acabou de terminar o ensino médio. A unidade de ensino, localizada em Belo Horizonte, oferta o EMTI e a conclusão pela filha dessa etapa da educação básica de forma integral agradou a Heloísa. “Sempre desejei uma escola em que minha filha pudesse estudar o dia inteiro. Acho que, para o adolescente, é sempre melhor estar ocupado com os estudos. O ensino integral agregou muito para a vida dela”, conta.

Isabela começou a estudar na Escola Estadual Maria Luiza Miranda Bastos quando estava no 2º ano do ensino médio e, em dois anos, a mãe relata que ela apresentou um grande progresso e que a modalidade de ensino auxiliou a jovem em seu crescimento educacional e pessoal. “Eu fiquei com muito pesar por não ter colocado minha filha no EMTI desde o 1º ano do ensino médio, porque ela desenvolveu demais. A responsabilidade em casa melhorou, além da evolução nos estudos que também foi enorme e visível. Eu fiquei muito satisfeita e orgulhosa dos professores e da escola”, afirma.

Além de ver o desenvolvimento conquistado pela filha, outro fator destacado por Heloisa para recomendar o EMTI é o bom trabalho realizado pela unidade de ensino, agregando o lado acadêmico e as propostas que valorizam e contribuem para a formação do aluno. “Eu trabalhava o dia inteiro, mas ficava tranquila porque sabia que ela estava na escola fazendo as atividades. A alimentação também é outro ponto de destaque. A Isabela tinha café da manhã, almoço e lanche da tarde”, destaca.

Evolução em todos os aspectos

Isabela fez o 3º e último ano do ensino médio em 2020, que teve seu término na rede pública estadual de ensino em janeiro deste ano. Agora, aguarda o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ela pretende cursar Enfermagem e comenta que as aulas, em especial as do projeto de vida, a ajudaram a definir as metas para seu futuro. “As aulas do projeto de vida são maravilhosas. Abriram minha mente, me fizeram pensar como eu me vejo daqui a alguns anos e me ajudaram a traçar minhas metas e objetivos”, diz.

A jovem também destaca o crescimento no campo educacional. “Todos os professores foram muito bons e me ajudaram a ampliar meus pensamentos e horizontes. Além disso, tínhamos mais contato com eles. Quando tínhamos uma dúvida, muitas vezes, sentávamos na hora do almoço para discutir”, conclui.

Quero Integral

Quem vai ingressar no ensino médio e também quer ter uma experiência inovadora, participando do Ensino Médio de Tempo Integral, deve ficar atento. A partir do dia 25 de fevereiro estará aberto o período de vagas remanescentes para as escolas da rede pública estadual de ensino, inclusive as unidades de ensino que contarão com vagas abertas nesta modalidade. A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) fará a divulgação das informações do processo nas suas redes sociais, na página oficial e no site Quero Integral.

Em Minas Gerais, a atual gestão está expandindo o número de escolas que ofertam o Ensino Médio de Tempo Integral na rede pública estadual. Em 2019, 78 unidades ofertaram o ensino integral. Em 2020, com a expansão, o número subiu para 274. Já em 2021, são 399 escolas de EMTI, distribuídas nas 47 Superintendências Regionais de Ensino (SREs), ofertando mais de 67 mil vagas.

No site Quero Integral, o interessado encontra a lista com os nomes das unidades de ensino que ofertam o EMTI em Minas Gerais.