Mais uma funcionalidade do aplicativo “Conexão Escola” começa a funcionar nesta terça-feira (09/06) para professores e alunos. A partir de hoje, fica disponível a funcionalidade de troca de mensagens via chat, o que deve facilitar ainda mais a interação. Para isso, é necessário atualizar o aplicativo para que a função fique disponível. Com isso, ficam ampliadas, ainda mais, as possibilidades de acesso ao conteúdo do Regime de Estudo não Presencial desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG).

A plataforma é uma das ferramentas do Regime de Estudo não Presencial ofertado neste momento de isolamento social causado pela pandemia da Covid-19. No “Conexão Escola”, é possível ter acesso às teleaulas do programa “Se Liga na Educação”, exibido na Rede Minas, aos slides apresentados nessas aulas e aos Planos de Estudos Tutorados (PETs). A conexão do perfil do aluno e do professor com a rede para utilizar o aplicativo é custeada pelo Governo de Minas.

Interação organizada

A chegada do chat ao “Conexão Escola” vai permitir a organização da interação entre professores e alunos. A recomendação da SEE/MG é para que o contato ocorra através da ferramenta, dessa forma, será possível programar o horário para que atividades sejam apresentadas e as dúvidas esclarecidas. Assim, também será possível que, mesmo quem não tem internet em casa, consiga participar, já que a navegação na plataforma é patrocinada pelo governo do estado. Esta é uma estratégia para conseguir cobrir o maior número de professores e alunos da rede, entendendo que só em casos excepcionais não será possível a utilização.

Outra vantagem do chat é garantir que seja respeitado o horário de trabalho do professor, evitando que ele seja acionado a todo momento, mesmo em períodos em que não estaria em sala de aula.

Além disso, o professor ainda poderá controlar a disciplina e tudo que é postado na sala virtual. Caso alguma mensagem seja considerada inadequada, ela poderá ser apagada, garantindo assim a segurança do conteúdo do chat e a disciplina e o foco dos alunos. O passo a passo de como operar todas as funcionalidades está no Guia Prático, desenvolvido pela SEE/MG e publicado no estudeemcasa.educacao.mg.gov.br.

Contudo, caso o professor prefira utilizar outras ferramentas e programas para o contato com os alunos, é possível utilizar a que mais se adaptar ao formato pretendido. 

Ferramentas em ação

A nova funcionalidade do Conexão Escola vai auxiliar ainda mais professores e alunos. Muitos deles já utilizam ferramentas virtuais no contato com os alunos para esclarecer dúvidas e encaminhar atividades. O professor de geografia Washington Eloi Francisco, já trabalha com várias ferramentas virtuais para ministrar suas aulas na Escola Estadual Arthur Bernardes, em Sete Lagoas, e na Escola Estadual João Rodrigues da Silva, em Prudente de Morais, e disse que agora a ferramenta será mais uma possibilidade. “O Conexão Escola veio a calhar. Ele já disponibilizava vídeos, os PETs para as aulas, mas ainda estava sem essa forma de comunicar, sem o chat. Ai agora nós vamos poder utilizar ele para essa função nas ferramentas, como a gnt já vinha usando o Whatsapp e outras redes sociais”, disse.

Washington fez um guia que auxilia no momento de usar as ferramentas. As informações, segundo ele, tem auxiliado outros colegas que têm dúvidas sobre como utilizar os aplicativos e redes sociais e a vencer os mais tradicionais. “As pessoas tem resistência ao novo, mas depois que começa a usar abre a mente e acostuma”, conta.

Da mesma forma, a professora de ciências e biologia Juliana Ramalho de Oliveira, que dá aula na Escola Estadual do Povoado de Taquaral, em Itinga, diz que as ferramentas tem sido muito úteis no momento de lidar com os estudantes. De acordo com ela, a possibilidade tem permitido até uma aproximação maior com os alunos. Ela acredita que a utilização dos recursos mais tecnológicos serão como um legado desse momento, que é de aprendizado para todos. “Essa pandemia, apesar de tudo, permitiu que a gente saia daquela situação de aulas como há 10, 15 anos e aprender a incluir tecnologia no nosso cotidiano. Afinal, estamos vivendo em um mundo tecnológico”, afirma.

Quem também já vinha adotando ferramentas virtuais e mais tecnológicas é o professor de língua inglesa da Escola Estadual José Gomes Junqueira de Uberlândia, Joaquim Neto. Segundo ele, há algum tempo ele usa algumas ferramentas que permitem que transmitir aulas, trocar informações com os alunos e esclarecer dúvidas sobre o conteúdo. Ela conta que deixa tudo combinado com os alunos, no momento das aulas, e isso tem permitido que tudo funcione perfeitamente. “A tendência é que essas aulas remotas, mesmo quando voltarmos a ter as aulas presenciais, porque é isso que os professores gostam, passem a funcionar como uma ferramenta complementar de uso para o aprendizado dos alunos”, acredita.

A proposta de ensino remoto desenvolvida pela SEE/MG possibilita que os alunos da rede pública estadual de Minas Gerais sejam menos afetados e sofram o mínimo possível na evolução de seu processo formativo no momento em que as atividades escolares presenciais forem retomadas. O Regime de Estudo não Presencial busca proporcionar a continuidade da relação com a escola, mesmo que de forma não presencial, de maneira que os estudantes não percam de forma brusca o contato com a atividade escolar evitando, assim, que venham a abandonar completamente os estudos.