Ao todo, foram 14 temas trabalhados e transformados em exposição na II Feciproc. Foto SRE Barbacena

A pesquisa sobre as riquezas do local onde os alunos vivem e estudam e a importância das atividades do campo foram o guia para os trabalhos da terceira edição da Feira de Ciências e Produtos do Campo (Feciproc) na Escola Estadual Deputado José Bonifácio Lafayette Andrada, no distrito de Correia de Almeida, localizado no município de Barbacena, no Território do Campo das Vertentes, em Minas Gerais.

Uma das atividades mais aguardadas do ano pelos estudantes, a Feciproc já se tornou um tradicional evento da escola e, nesta edição, teve como tema “Saberes da Terra: uma prática inovadora na Educação do Campo”. Como já de costume, a feira encerra a programação da Semana Pela Vida e foi realizada no dia 24 de novembro, nas dependências da unidade escolar, e aberta a toda a comunidade.

Os temas dos projetos começaram a ser trabalhados em sala de aula semanas antes da exposição dos trabalhos. Inclusive, durante a Semana Pela Vida, que envolveu palestras e atividades relacionadas aos assuntos que foram escolhidos para exposição na Feciproc. Além de um bate-papo com a nutricionista da Superintendência Regional de Ensino de Barbacena, Josélia de Paula, para falar sobre alimentação saudável, os alunos assistiram a palestra de uma estudante de agronomia para falar sobre inovações do campo, conversaram com um radialista local que mantém um programa sobre novidades na agricultura e agronegócio e também é fazendeiro, e com ex-alunos da Escola Estadual Deputado José Bonifácio Lafayette Andrada que estão bem sucedidos profissionalmente, que falaram aos alunos sobre a importância de acreditar em si mesmo para seguir o caminho que escolher e conquistar o que se almeja.

A terceira edição da Feciproc teve ampla participação dos estudantes e recebeu visitação de toda comunidade escolar. Foto: Arquivo da Escola

Para a diretora Patrícia Faria Martins da Rocha e Silva, o contato dos alunos com esses profissionais amplia o conhecimento que eles já têm e ajuda a reforçar a importância das atividades do campo para que eles se reconheçam no território onde estão inseridos e saibam tanto o valor do campo quanto seus próprios valores. “Mesmo que as pessoas pensem que a Feciproc repita o tema de educação no campo, é importante frisar que nunca sabemos tudo sobre um assunto. Quanto mais estes jovens souberem que estar no campo é um privilégio, mais eles se sentirão valorizados e capazes. O tema deste ano tem a ver com isso, pois queremos incentivar os ‘saberes da terra’, ou seja, fazer com que os alunos percebam o valor da nossa terra, que é muito fértil, excelente para o cultivo, para as criações e, por conseguinte, para o crescimento da nossa comunidade. E trazer pessoas experientes para falar sobre suas áreas e conseguir aliar à realidade do campo é fundamental”, disse a diretora.

Além das palestras e rodas de conversa, os estudantes também conheceram a Organização dos Amigos, Moradores e Produtores Rurais dos Costas, entidade que fornece os alimentos da agricultura familiar para a escola. A visita técnica abordou os processos de plantio e colheita e permitiu que os alunos visitassem a extensa horta, mesmo em um dia chuvoso. “Ao final, eles ganharam dos integrantes da associação um lanche com tudo que é produzido lá: sucos naturais, frutas, pães e biscoitos. Todos ficaram muito animados e a todo tempo estiveram muito atentos a tudo”, disse Patrícia.

Alunos tiveram aulas práticas e teóricas sobre o tema escolhido para desenvolver o trabalho. Foto: Arquivo da Escola

No tão esperado dia 24 de novembro, os 455 alunos do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio marcaram presença pra apresentar os resultados dos trabalhos desenvolvidos dentro de 14 temas: Água e Agroecologia; Agricultura Familiar; Botânica; Zooterapia; Inteligência Emocional; Benefícios e Malefícios dos Alimentos Transgênicos; Tecnologias Seculares dos Maias, Astecas e Incas; Solos; Boas Práticas de Higiene e Segurança Alimentar; Bovinocultura de Leite; Composição de Bebidas Energéticas; Mecanização e Tecnologia Agrícolas; Fruticultura e Urbanização.

Para a diretora Patrícia, o sucesso dos dois últimos anos se repetiu em 2018: alunos envolvidos, empolgados, com domínio do assunto de seus projetos e também satisfeitos com os resultados. “Podemos dizer que mais uma vez a Feciproc superou nossas expectativas. A cada ano ficamos mais felizes ao ver como os alunos abraçam esse projeto e levam a sério as atividades, principalmente por conta da exposição final, aberta à comunidade. Todos querem mostrar que se empenharam para o trabalho ser o mais caprichado possível. A equipe de avaliadores convidada, composta pelos profissionais que gentilmente realizaram as palestras e rodas de conversa, ficou surpresa com tamanha dedicação. Os alunos não sabiam que seriam avaliados por pessoas externas à escola, e mesmo assim fizeram tudo com muito esforço e empenho”, concluiu, satisfeita, a diretora.

Alunos em visita à associação que fornece os alimentos de agricultura familiar para a merenda escolar. Foto: SRE Barbacena