A oportunidade de ficar frente a frente com os consumidores se tornou realidade mais uma vez para estudantes de Belo Horizonte e região metropolitana que participam do programa Meu Primeiro Negócio em 2018. Nesta quinta-feira (6/12), jovens empreendedores de 12 escolas estaduais expõem à venda os produtos de suas empresas na Cidade Administrativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

De chaveiros porta-smartphone a ventilador para notebook e luminárias feitas de material reciclado, são várias as opções para quem passa no corredor do subsolo do prédio Minas. Em cada estande é possível perceber que os alunos absorveram o espírito empreendedor incentivado pelo Meu Primeiro Negócio: oferecem seus produtos, explicam suas qualidades, negociam, são flexíveis às necessidades do cliente, ofertam brindes e se colocam à disposição caso o consumidor não se sinta satisfeito com a compra.

No estande da X Acessórios, criada pelos alunos da Escola Estadual Murgy Hibraim Sarah, em Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte, o preço é único: por R$5, o cliente pode escolher entre uma variedade de peças entre colares e pulseiras reguláveis, além de diversos pingentes. A estudante Poliana Conceição da Silva, do 3º Ano do Ensino Médio, afirma estar muito satisfeita por estar ali. “Fazer parte disso aqui hoje é uma maravilha, é uma coisa muito boa. No começo não pensamos que íamos tão longe, e estar na Cidade Administrativa foi um dos maiores passos que já conseguimos dar, porque achávamos que íamos ficar só no nosso bairro. E com isso entendemos que podemos ir além”, disse, contente, a jovem empreendedora.

As empreendedoras da X Acessórios, da Escola Estadual Murgy Hibraim Sarah, apresentando seus produtos a um cliente na Cidade Administrativa. Foto: Franciele Xavier (ACS/SEE-MG)

E mesmo em se tratando de outras empresas e outros produtos, Poliana afirma que tem uma nova consciência sobre empreendedorismo. “Pelo programa a gente conseguiu entender várias coisas, principalmente, que manter um negócio é um desafio diário. Envolve pessoas, discussões, planejamentos, pensar o produto, o público alvo. Tudo que eu vou comprar, hoje, já paro e penso: tem uma produção, tem muita gente por trás disso, teve muito diálogo. Porque para chegar nessas pulseiras e nesses colares que vendemos, precisamos de todo mundo. Não foram três ou quatro pessoas, foram 19, foi uma equipe. E trabalhamos juntos, rimos, divertimos, e até brigamos, porque existem brigas, sim. E entendemos que vamos levar isso para o resto de nossas vidas, é um aprendizado fantástico”, disse a estudante.

A empresa dos estudantes da Escola Estadual Walt Disney é a Paper Blocks SA, que produz blocos de papel com ímã para ser usado como porta-recados em geladeiras, quadros, e onde mais o ímã aderir. Um dos representantes na Cidade Administrativa era o Marlon Gabriel Amaral dos Santos. Para ele, é algo muito novo estar frente a frente com o público. “É uma experiência muito boa, a gente aprende mesmo como funciona o mercado. Aprendemos a ter um certo equilíbrio com relação às vendas: não podemos desanimar se não aparece ninguém e nem dar por satisfeitos se o estande está com movimento bom. É um processo de muito entendimento, compreensão, planejamento, diálogo com os outros integrantes da empresa”, disse Marlon.

Alan Cesar Neves Ferreira é o professor e orientador do grupo e acredita que esta exposição foi uma etapa muito importante para os jovens. “O legal da oportunidade de estar aqui é que eles têm a proposta de vender para um público desconhecido. Porque estar no bairro da escola com um público que já conhece os estudantes é uma coisa. Aqui realmente é outra, é um público desconhecido, ninguém os conhece e eles também não sabem quem são seus clientes, então têm que apresentar o produto, mostrar como funciona, conquistar. Pra eles foi demais isso”, disse, orgulhoso da turma.

Marlon entrega o produto e recebe o dinheiro para o caixa da Paper Blocks, empresa de alunos da Escola Estadual Walt Disney, em Contagem. Foto: Franciele Xavier (ACS/SEE-MG)

Planos Futuros

A empresa Cas’Aroma, que vende aromatizantes naturais de ambiente com ação repelente, lançou a promoção “Black Dezembro” com o intuito de impulsionar os negócios. Pela oferta, três produtos saem com desconto e o cliente leva sachês anti-insetos. Para uma das alunas representantes da empresa na exposição da Cidade Administrativa, Letícia Oliveira Teodoro, do 2º ano do Ensino Médio na Escola Estadual Hilton Rocha, em Belo Horizonte, esta é uma oportunidade única. “Estou admirada por participar deste dia de vendas. É como se fosse a conclusão de tudo que aprendemos até agora, mas sei que não é. Pois nossa empresa está super bem sucedida e temos vários planos para o futuro”, disse a estudante, que afirma que o Meu Primeiro Negócio foi um vasto aprendizado, além de melhorar as relações entre os colegas do grupo.

Se depender da professora e orientadora dos estudantes durante o Meu Primeiro Negócio, a Cas’Aroma já tem com quem contar. “Foi uma experiência extremamente gratificante, porque foi possível ver o amadurecimento desses jovens ao ter que criar uma empresa, que começou com 27 alunos e hoje só está com 26 porque um deles teve que mudar de Estado. Ou seja, não tivemos evasão, estão todos apaixonados pelo projeto, inclusive eu. Muitos querem levar a Cas’Aroma adiante, outros vão abrir seus próprios negócios. E eu, como facilitadora de projetos, já ofereci a eles, de presente, seis meses de consultoria após o curso para orientar no que precisarem”, disse Geudimar Santana, que também é professora dos cursos de Marketing e Administração no Ensino Médio Integral da Hilton Rocha.

Vitória entrega o produto de mais um negócio fechado para a CasAroma, empresa de 26 alunos da Escola Estadual Hilton Rocha, em Belo Horizonte. Foto: Franciele Xavier (ACS/SEE-MG)

Feira do Meu Primeiro Negócio

A primeira oportunidade que os estudantes do programa tiveram de ficar frente a frente com o consumidor foi na Feira do Meu Primeiro Negócio, que aconteceu durante os dias 15 e 16 de novembro, na portaria 5 do Minas Shopping, em Belo Horizonte. Cerca de 650 alunos de 49 escolas estaduais de 25 municípios mineiros estiveram presentes para vivenciar a venda de suas próprias criações e o resultado foi impactante: 753 produtos vendidos e faturamento de aproximadamente R$6.500.

Meu Primeiro Negócio

O programa é uma iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, em parceria com Junior Achievement Minas Gerais, capitaneado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e Secretaria de Estado de Educação (SEE) e tem como principal objetivo promover a cultura empreendedora entre estudantes do Ensino Médio de escolas estaduais.

O Meu Primeiro Negócio proporciona aos estudantes a experiência prática em negócios, economia e gestão por meio da organização e operacionalização de empresas estudantis. Assim, os (as) jovens terão a oportunidade de ingressar no mercado de trabalho mais capacitados (as). Em 2018, mais de 800 escolas foram inscritas e 400 selecionadas para participar. Em suas duas rodadas, 2017 e 2018, 520 escolas estaduais foram contempladas e cerca de 12 mil alunos formados como jovens empreendedores.

Ao longo de 12 semanas, monitores, voluntários (preferencialmente das áreas de marketing, finanças, recursos humanos e produção) e estudantes se encontrarão semanalmente por cerca de 3h para aprender conceitos como livre iniciativa, mercado, produção e comercialização de um produto.

Enviar para impressão