Os 27 alunos vencedores participam da edição anual do Jovem Senador, em Brasília.

Está aberta, até o dia 17 de agosto, a “11ª edição do Concurso de Redação do Senado Federal”. A iniciativa tem por objetivo estimular a reflexão sobre política, democracia e exercício da cidadania nos estudantes do Ensino Médio, com idade até 19 anos e regularmente matriculados nas escolas públicas dos estados e do Distrito Federal. O concurso deste ano tem como tema “A Constituição Cidadã 30 anos depois”.

A redação deverá ter entre 20 e 30 linhas, manuscrita em língua portuguesa, com caneta esferográfica azul ou preta, no papel timbrado do Senado Federal especialmente desenvolvido para o concurso. Deverá ser redigida pelo próprio aluno, à exceção daqueles que necessitem de atendimento diferenciado e específico.

O concurso será dividido em três etapas. A primeira etapa consiste na inscrição. Para se inscrever, cada unidade de ensino participante seleciona uma redação para representá-la e a encaminha à secretaria de Educação da sua unidade da Federação. O endereço e os procedimentos para o envio da redação estão disponíveis no site www.senado.leg.br/jovemsenador. Já na segunda etapa, cada secretaria de Educação deverá selecionar três redações, sem classificá-las, e as encaminha ao Senado Federal, com a documentação completa. Por fim, a comissão julgadora do Senado Federal avalia e julga as 81 redações finalistas e seleciona as 27 vencedoras — uma de cada unidade da Federação —, classificando o primeiro, o segundo e o terceiro lugar nacional.

Os 27 alunos vencedores deverão participar da edição anual do Jovem Senador, que será realizada em Brasília, no período de 19 a 24 de novembro de 2018. Eles receberão um certificado e um diploma de classificação no Jovem Senador 2018. Já as redações dos jovens senadores comporão o livreto do Jovem Senador 2018.

Os 27 professores orientadores também receberão um certificado de participação no Jovem Senador 2018 e terão a oportunidade de acompanhar seus alunos na viagem a Brasília e contarão com programação específica.

Todas as escolas em que estudam os 27 jovens senadores receberão um kit com publicações do Senado Federal para compor acervo de biblioteca. Essas unidades de ensino e seus respectivos diretores também receberão um certificado de participação no concurso.

Kits de divulgação

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE) já encaminhou para todas as escolas públicas estaduais de Ensino Médio os kits de divulgação da edição Jovem Senador 2018. O material é composto por Carta do Presidente do Senado, Ficha de Inscrição, Folha de Redação, Regulamento de 2018, Compilação das redações vencedoras de 2017 e cartazes de divulgação do programa e do Projeto e-Cidadania.

A SEE, por meio da Diretoria de Juventude, recomenda que os Conselhos de Representantes de Turmas de Ensino Médio das escolas tenham acesso a todo o material recebido. As inscrições para concorrer a uma vaga no programa já estão abertas e o prazo final é o dia 17 de agosto. O regulamento e todo o material necessário para inscrição estão disponíveis no site do projeto.

As escolas que não receberem os kits pelos Correios têm até o dia 20 de julho para solicitar os arquivos digitais à coordenação do Jovem Senador. O pedido pode ser feito diretamente pelo e-mail jovemsenador@senado.leg.br.

O Programa

O Programa Senado Jovem Brasileiro, criado por meio da Resolução 42/2010, engloba o Projeto Jovem Senador e o Concurso de Redação do Senado Federal. O nome-síntese Jovem Senador é utilizado para referir-se ao conjunto das atividades do Programa.
O Jovem Senador é realizado anualmente e proporciona aos estudantes do ensino médio das escolas públicas estaduais e do Distrito Federal, de até 19 anos, conhecimento acerca da estrutura e do funcionamento do Poder Legislativo no Brasil.

A cada ano é proposto um tema de redação como forma de ingresso. A legislatura tem duração de quatro dias e inicia-se com a posse dos jovens senadores e a eleição da Mesa. Os trabalhos são encerrados com a aprovação dos projetos e a consequente publicação no Diário do Senado Federal.

O projeto conta com a parceria do Ministério da Educação (MEC), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e o apoio das secretarias de Educação dos estados e do Distrito Federal.