Equipe da Secretaria visitou a escola para conhecer o projeto e a programação em comemoração ao Dia do Índio, celebrado no dia 19 de abril

Localizada no município de Itapecerica, a Escola Estadual Indígena Muã Mimatxi Pataxó recebeu, no dia 12/4, a visita de representantes da Secretaria de Estado de Educação (SEE), acompanhados da inspetora escolar Conceição Aparecida Barbosa Moreira e da analista educacional Elaine Gontijo, da Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Divinópolis.

Além de participarem de atividades comemorativas realizadas em função da programação Abril Indígena, organizada nacionalmente pela Fundação Nacional do Índio (Funai), os visitantes acompanharam o desenvolvimento de atividades do projeto Troca de Saberes “Com o pé no chão da aldeia e com o pé no chão do mundo”, uma iniciativa de intercâmbio educacional realizada pela própria escola, com acompanhamento pedagógico da SRE.

Foto: Arquivo da SRE Divinópolis

Por meio do projeto, a E.E. Indígena Muã Mimatxi Pataxó tem atuado como anfitriã de outras instituições de educação básica da região. “Cada criança ou jovem que visita a escola indígena socializa conhecimentos e realiza trocas culturais importantes para ambos os lados. Todas as ações do projeto são desenvolvidas com uma intencionalidade pedagógica bem definida, respeitando a diversidade étnica”, explica Elaine Gontijo.

Assim, as ações educacionais implementadas na E.E. Indígena Muã Mimatxi Pataxó são concretizadas a partir de atividades que permitem, ao mesmo tempo, a transmissão de conteúdos curriculares ao mesmo tempo em que a cultura indígena é valorizada. Para tanto, os processos de ensino e aprendizagem são desenvolvidos em meio a práticas artesanais, jogos, cantos, contações de histórias e também por meio da composição de “terreis”, desenhos ou pinturas indígenas que refletem cenas cotidianas da tribo.
Como exemplo das particularidades das práticas educacionais indígenas, Dona Lissa, liderança feminina da tribo, atua na escola auxiliando no ensino dos “terreis” como forma de representação e interpretação da realidade dos alunos, que compõem verdadeiras crônicas de seu dia-a-dia nos desenhos e pinturas elaborados.

Foto: Arquivo da SRE Divinópolis

“A Superintendência Regional de Ensino tem sido nossa parceira neste trabalho, acompanhando e dando suporte às ações da escola, reconhecendo nossa cultura e contribuindo para o seu fortalecimento”, comenta Siwê Alves Braz, diretor da EE Indígena Muã Mimatxi Pataxó e que vem sendo preparado por seu pai, Kanatyo, atual cacique, para, futuramente, assumir a liderança da tribo.

Educação escolar indígena

O estado tem 19 escolas estaduais indígenas e duas turmas vinculadas a escolas não indígenas. O atendimento escolar indígena é feito em 64 endereços, localizados em sete Superintendências Regionais de Ensino (SREs). Nessas escolas, são atendidos cerca de 4.600 estudantes.

Foto: Divulgação SRE Divinópolis

Atendendo a uma demanda antiga dos povos indígenas, o governo encaminhou à Assembleia Legislativa de Minas Gerais um Projeto de Lei que cria a categoria Escola Indígena. O PL 5.037/18 altera a Lei 22.445, de 2016, que dispõe sobre a educação escolar indígena. O objetivo do novo projeto é assegurar o direito das comunidades indígenas a terem seus próprios processos escolares.

Por Andreia Mendes (SRE Divinópolis)

Enviar para impressão