Em Belo Horizonte, a ação aconteceu no Parque Municipal, na região central, e no estacionamento do Via Brasil, na Pampulha, no último sábado. Em Contagem, o evento foi realizado na Praça Nossa Senhora da Glória

Thaís Coutinho, 18 anos, sabe que para realizar o sonho de ser médica é preciso muito esforço e preparação. Aluna do 3º ano do Ensino Médio na Escola Estadual Maria Muzzi Guastaferro, em Belo Horizonte, a estudante não se intimida com a concorrência e tem se dedicado para conseguir uma boa nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). E para isso, vale até acordar cedo em um sábado chuvoso para assistir a uma aula especial de preparação para as provas, que acontecem dias 5 e 12 de novembro. Thaís foi uma das 400 pessoas que lotaram o estacionamento do Via Brasil, na região da Pampulha, em BH, no último sábado (28/10), durante o Enem na Praça. Iniciativa da Secretaria de Estado de Educação, a ação aconteceu também, simultaneamente, no Parque Municipal Américo Renné Gianetti, na região central da capital, e na Praça Nossa Senhora da Glória, em Contagem.

Foram realizadas aulas interdisciplinares, dinâmicas e abertas à comunidade, ministradas em espaços abertos por profissionais da rede estadual que abordaram, dentro da proposta de trabalhar elementos gráficos e de imagens, diversos conteúdos que são comuns nas provas do Enem. A subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Augusta Mendonça, que marcou presença no Parque Municipal, explicou que a proposta do Enem na Praça é de incentivar e motivar os estudantes da rede pública neste processo de avaliação, que não é um processo tão simples. “A prova do Enem se apresenta em uma perspectiva interdisciplinar e que, muitas vezes, nesse modelo de atendimento da escola regular, não é contemplado. Essa iniciativa dos aulões é, nesse sentido, de eleger alguns temas que favorecem essa perspectiva interdisciplinar contemplando as quatro áreas do conhecimento que são avaliadas no Enem”, disse.

Enem na Praça reuniu cerca de 400 alunos no estacionamento do Via Brasil, na Pampulha. Foto: Andréa Hespanha (ACS/SEE-MG)

A estudante Thaís Coutinho está determinada a conseguir uma vaga na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) ou uma bolsa pra estudar em faculdade privada. “Vou tentar Medicina e sei que a jornada é bem pesada, mas estou confiante, estou me preparando e creio que vai dar tudo certo. Estou saindo daqui com mais determinação para conseguir uma nota excelente no Enem na semana que vem”, declarou a jovem. Para a subsecretária, o Enem na Praça é uma maneira de trazê-los à cena, de reconhecer a importância dos alunos da rede pública, e a importância da participação deles nesse processo de avaliação.

Antes das 8 horas da manhã, a estudante Fernanda da Conceição, 18 anos, já estava na Praça da Glória aguardando o início da aula de Matemática. “Estou muito animada para o Enem, quero tentar uma vaga para o curso Pedagogia no ano que vem. Estou me preparando, fazendo cursinho e vim aqui hoje para pegar mais ideias e dicas de como fazer uma boa prova”, contou a estudante da Escola Estadual Helena Guerra, em Contagem. Gustavo Oliveira, 16 anos, ainda está no 1º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Rui Pimenta, em Contagem, mas já começou a sua preparação para o Exame. “Tenho planos de cursar Gastronomia, por isso acho bom começar a me preparar desde agora para obter uma nota boa e engrenar nessa carreira”, contou.

Ingrid Santiago, 17 anos, aluna da Escola Estadual Alaíde Lisboa de Oliveira, almeja uma vaga em um curso de Direito, e, para isso, não perdeu a oportunidade de assistir às aulas no Parque Municipal. “Estou com uma expectativa muito grande, porque esse momento representa uma mudança de vida, vamos sair da escola e vamos para um ambiente totalmente diferente. A escola vem nos preparando ao longo do ano e os professores estão muito empenhados, aplicando um conteúdo bem próximo aos que são cobrados no exame. Gostei dessa iniciativa do Enem na Praça, é muito importante saber que temos esse apoio do Governo para a nós, alunos da escola pública, nos sentirmos valorizados”, destacou a estudante.

A subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Augusta Mendonça, explicou que a proposta do Enem na Praça é de incentivar e motivar os estudantes da rede pública neste processo de avaliação. Foto: Eric Abreu (ACS/SEE-MG)

Aulas dinâmicas e interdisciplinares

A primeira aula do dia foi a “Você sabe ler gráficos e tabelas?”, ministradas por professores de Matemática e Ciências da Natureza. Cristiano de Sousa Rodrigues, professor de Matemática da Escola Estadual Padre Penido Burnier e vice-diretor da Maurício Murgel, abriu os trabalhos na Praça da Glória, em Contagem. “Tratamos de um assunto da matemática, que está presente em praticamente todos os conteúdos, que é a questão de gráficos e tabelas. O primeiro exemplo que mostrei, traz uma prova de Redação de um ano anterior que trazia quatro textos, sendo que um deles era representado na forma gráfica. Muitas vezes, a resposta de uma questão está na basicamente análise do gráfico”, explicou o professor.

Na Pampulha, a aula de Matemática ficou a cargo de Cristiano Alvarenga Marques, professor de matemática da Escola Estadual Ari da Franca. “Esse é um conteúdo muito presente no Enem e o aluno precisa estar atento às informações para interpretar e encontrar a resposta e não cair em pegadinhas”, completou o professor.

Professor de matemática Cristiano Sousa trabalhou a leitura e interpretação de gráficos e tabelas com alunos. Foto: Andréa Hespanha (ACS/SEE-MG)

A segunda aula trabalhou conteúdos de Ciências Humanas e Linguagens, por meio do estudo e interpretação de imagens, como as charges. Margareth Oliveira, que é professora de Língua Portuguesa da Escola Estadual Maria Carolina Campos, foi uma das profissionais que ministrou essa aula no Via Brasil. “Buscamos trabalhar na linguagem do jovem, dialogar com os conteúdos disciplinares e a vivência deles, buscar dicas que são importantes para a prova, treinar interpretação usando imagens e símbolos que podem cair no Exame. O aluno de escola pública tem que chegar na universidade, ocupar esses espaços e nós queremos ajudar a dar essa condição para eles”, destacou a professora.

Wilner Rodrigues, professor de História e Filosofia do sistema socioeducativo da Escola Estadual Divina Providência, contou que trabalhou questões de atualidades, trazendo para um possível tema da redação. “Trouxemos um retrospecto dos temas dos últimos anos, e trabalhamos também questões recentes como refugiados, política nacional e mundial. Nosso trabalho é todo com materiais imagéticos, como charges, fotografias, tirinhas, vídeos, com o objetivo de ensinar os alunos a trabalhar e interpretar textos não-verbais, uma sequência de interpretações de imagens e vídeos. O Enem cobra muito mais que o conteúdo aprofundado, mas a crítica dos assuntos. É interessante trabalhar esses temas para que o aluno possa interpretar refletir e apresentar propostas de intervenção”, contou o professor.

Nem a chuva de sábado de manhã desanimou os alunos da regional Metropolitana C a participarem dos aulões do Enem na Praça. Foto; Divulgação

O assessor da Superintendência Regional de Ensino Metropolitana C, Igor Prieto de Andrade, comemorou o sucesso da iniciativa realizada na Pampulha pela regional. “Mobilizamos 10 escolas de ensino médio da regional, cerca de 400 estudantes participaram das aulas hoje, estamos muito satisfeitos. A ideia do Enem na Praça é importante para mostrar que na escola pública temos bons professores e bons alunos e que podemos chegar forte no Enem. É importante reconhecer e a valorizar a qualidade dos nossos professores e dos nossos alunos”, disse Igor.

Além dessa iniciativa, a SEE disponibilizou para as escolas simulados, por meio do banco de itens do Simave, para que sejam aplicados aos estudantes. “Nós estamos orientando as escolas que propiciem aos estudantes vivenciaram a dinâmica do Enem, com o mesmo tempo de chegada e duração das provas, com todas dinâmica prevista dentro do exame, para que eles possam vivenciar o mesmo modelo. Temos algumas escolas que estão se organizando nesse sentido. No mais, a gente deseja a todos os estudantes mineiros muito sucesso”, destacou Augusta Mendonça.

Enem Show

Dentro da mesma proposta, a Superintendência Regional de Ensino de Passos promoveu o Enem Show, na Câmara Municipal da cidade. Cerca de 500 estudantes participaram das aulas, que trouxe dicas, resolução de exercícios e trabalhou a interpretação das questões para se dar bem na hora das provas. Foram aulões interdisciplinares, interativos e muito animados.  

SRE Passos reuniu cerca de 500 alunos na Câmara Municipal para o Enem Show. Foto: Divulgação