Formação teve início ontem e será realizada até a próxima quinta-feira (18/7)

Cerca de 250 profissionais da rede estadual de educação participam nesta quarta-feira (17/07) do segundo dia do ciclo de formação voltado à educação integral no ensino médio, em Belo Horizonte. O encontro reúne diretores de escolas estaduais, analistas educacionais e inspetores das Superintendências Regionais de Ensino (SREs). Este é o primeiro ciclo de formação que tem por objetivo a reestruturação da proposta pedagógica ofertada em 71 escolas que oferecem educação integral para alunos do ensino médio.

“No primeiro momento estamos focando nos diretores, inspetores e analistas que estão mais próximos da escola. Eles precisam compreender essa nova organização. O segundo momento dessa formação vai contemplar os professores, que precisam compreender a fundo essa a pedagógica”, destaca a superintendente de Políticas Pedagógicas da SEE, Kellen Senra.

Formação é voltada para profissionais que atuam com escolas que ofertam a educação integral para o ensino médio. Foto: Daniela Jeunon

Segundo a superintendente, a restruturação faz parte do foco da Secretaria na melhoria da aprendizagem no Ensino Médio. “Estamos focando na gestão pela aprendizagem, reorganizando e pensando a estrutura para melhoria dos resultados nas avaliações, garantindo a permanência do estudante, evitando a evasão e o abandono do ensino médio, que é o primordial nessa proposta”, afirma Kellen.

Ao longo dos três dias de formação, os profissionais da educação participarão de oficinas que discutirão o Projeto de Vida, a gestão do ensino e da aprendizagem, eixos formativos, metodologias de êxito, entre outros.

Expectativa

A proposta de reestruturação da educação integral foi apresentada aos profissionais da educação e comunidades escolares no mês de maio, quando foi realizada uma sensibilização a partir da apresentação de experiências de sucesso de locais onde o Modelo Escola da Escolha já foi implantado.

O diretor da Escola Estadual Professor Samuel João de Deus, no município de Paula Cândido, Gabriel Egídio do Carmo, destacou que os alunos estão ansiosos para a implantação da iniciativa. “Os alunos estavam fazendo um abaixo assinado para não ter a educação integral na escola e quando a proposta foi apresentada, os pais e os estudantes se apropriaram e há uma expectativa de que isso seja algo bom para eles. Os alunos querem um pouco mais de mobilidade e não apenas ficar repetindo o que eles já vêm no regular”.

Já o diretor da Escola Estadual Mariana de Paiva, no município de Guidoval, Tiago Guimarães, destaca que o estudante precisa ver sentido no ensino médio e que a nova proposta incentiva isso. “O estudante deve entender que o currículo que ele está aprendendo vai ser válido para alguma coisa e esse modelo visa isso. Vai ser muito importante”.

Leia mais:
- Proposta pedagógica da educação integral no ensino médio será reestruturada para o segundo semestre