Na Escola Estadual Dona Antônia Valadares, no município de Divinópolis, Território Oeste de Minas Gerais, o último sábado (1/12), foi dedicado à realização da I Feira da Libras, uma iniciativa do Curso Técnico de Tradução e Interpretação em Língua Brasileira de Sinais, ofertado pela unidade de ensino. 

"Para favorecer a integração com a comunidade escolar, os alunos do curso se separaram em grupos de trabalho e montaram estandes interativos com temas específicos que dizem respeito à Libras", explica a professora Graciele Karlen Pereira, coordenadora do curso. 

Entre os assuntos abordados pelos estudantes destacam-se as lutas históricas das pessoas surdas pela inclusão; o uso das Expressões Não Manuais (ENM); o Alfabeto Manual da Libras; a atuação do profissional Tradutor Intérprete; a surdocegueira; Configuração de Mão; Sinais Icônicos e jogos; além de Cinema e Audiovisual.

Este é primeiro ano da oferta do curso técnico de Tradução e Interpretação de Libras na escola, pela Rede Estadual de Educação Profissional. Foto: Arquivo da Escola

Neste sábado letivo, a escola estava aberta à comunidade também para apresentação da prestação de contas da Caixa Escolar. "A realização da I Feira da Libras nesta data foi uma maneira de atrair a comunidade para participação não apenas na reunião administrativa, mas também para o contato com atividades pedagógicas que associam conhecimento e inclusão social", comenta Kênio Cristino Borba, diretor da unidade de ensino. 

Durante a Feira, os visitantes foram envolvidos em atividades lúdicas, como um túnel do tempo que exibia eventos históricos e datas importantes no que concerne à luta e à inclusão das pessoas surdas. Em outro estande, as várias maneiras de se expressar corporalmente com a face e a cabeça foram ressaltadas. Para tanto, os visitantes colocavam seus rostos em uma pequena cabine e buscavam expressar sentimentos e sensações para que outras pessoas as compreendessem. Os alunos também se ocuparam de oferecer às pessoas que compareceram ao evento uma experiência de uso da Libras, ensinando-as a traduzirem uma frase de sua preferência para a Língua Brasileira de Sinais. As mensagens foram filmadas e serão publicadas na fanpage da escola no Facebook. 

Mais do que favorecer o contato da escola com a sua comunidade escolar, a realização do evento propiciou a interação dos estudantes do Curso Técnico de Tradução e Interpretação em Língua Brasileira de Sinais com os alunos surdos matriculados nos três anos de escolaridade do Ensino Médio da Escola Estadual Dona Antônia Valadares, que tem se tornado referência no atendimento de estudantes surdos na região. 

Feira atraiu a comunidade escolar com conhecimento sobre a Língua Brasileira de Sinais. Foto: Arquivo da Escola

É a primeira vez que o Curso Técnico em Tradução e Interpretação em Libras está sendo ofertado pela Rede Estadual de Educação Profissional (REDE), sendo que cinco escolas públicas de Minas Gerais foram contempladas por esta proposta formativa, nos municípios de Belo Horizonte, Divinópolis, Passos, Uberaba e Uberlândia. A iniciativa tem como objetivo aumentar o acesso à educação profissional e tecnológica no estado, além de formar profissionais que possam contribuir para a promoção de uma educação básica mais inclusiva. 

Texto: Andreia Mendes Costa