Desde o mês de julho, a Secretaria de Estado de Educação (SEE/MG) está realizando formações com profissionais que atuam nas 71 escolas estaduais que ofertam a educação integral para estudantes do ensino médio. O objetivo é discutir e apresentar a proposta de reorganização curricular que tem como foco o protagonismo juvenil. Ao longo desta semana, a última turma de educadores participou da formação.

 

Ao todo, as formações reuniram mais de 2.000 educadores, entre diretores, vice-diretores, professores, analistas educacionais e inspetores escolares. Com o encerramento do primeiro ciclo de formações a proposta já estará efetivamente nas salas de aula a partir da próxima semana.

 

“A partir de agora começaremos a introduzir essa reorganização curricular. Iniciaremos o acompanhamento das escolas, apoiando e fazendo o alinhamento sobre como será o desenvolvimento da metodologia”, ressalta a superintendente de Políticas Pedagógicas da SEE, Kellen Senra.

 

 

Expectativa

 

Para a professora da Escola Estadual Professora Julia Kubitschek, em Passos, Mônica Silva, a formação é importante porque propicia a troca de experiências entre os educadores. “Eu acho que a formação é fundamental nesse momento em que estamos discutindo a necessidade da transformação na educação. É muito importante estar sempre juntos para partilhar experiências e receber um conteúdo novo. Estou muito ansiosa para o trabalho”.

 

Mônica Silva já sabe que na escola onde atua será a responsável por ministrar ‘Projeto de Vida’. “Sonhar a gente sonha muito. Precisamos aprender como concretizar coisas e como traçar metas e objetivos. Com o projeto de vida eu vou ajudar meus alunos a conseguir traçar passos e fazer planos”, contou.  

A professora de Geografia da Escola Estadual Professora Haydee de Souza Abreu, no município de Timóteo, Andressa Magalhães, afirma acreditar na proposta e espera que ela seja continua. “Estou achando a proposta ótima porque abrange várias dimensões. Espero que ela seja efetiva”.

 

Ao longo da semana, os participantes do encontro discutirão sobre bases e fundamentos da proposta, princípios educativos, projeto de vida, protagonismo, entre outros.

 

 

Novas formações

 

Para os profissionais das 71 escolas já estão previstas novas formações. “Agora o nosso foco será trabalhar separadamente os componentes curriculares. No final do mês já temos prevista a formação para os educadores que atuarão com o projeto de vida e uma de rotinas pedagógicas que vai envolver analistas educacionais, diretores das escolas, professor coordenador e os especialistas de educação básica”, conclui Kellen.

 

As formações estão sendo realizadas a partir de uma parceria metodológica com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE), idealizador do Modelo Escola da Escolha, que serviu como base para a reestruturação da proposta pedagógica mineira.