Programa de desenvolvimento profissional é realizado em universidade de Toronto

Oito semanas de imersão em uma outra cultura. Um outro país para estudar. Capacitar-se e aperfeiçoar-se como educador. Essas são algumas das experiências que o professor da rede estadual de ensino de Minas Gerais, Idélcio Fernandes Pereira, está vivenciando pelo reconhecimento de um projeto pedagógico bem-sucedido.

Idélcio é professor efetivo da rede há 20 anos e, atualmente, dá aulas de Educação Física na Escola Estadual Israel Pinheiro, em Governador Valadares, onde o projeto que o levou ao Canadá foi idealizado. O docente está desde o dia 6 de julho deste ano em Toronto ampliando sua bagagem de conhecimento. O retorno do professor ao Brasil está marcado para o dia 30 deste mês.

Educador está no Canadá desde o dia 6 de julho. Foto: Arquivo pessoal

Pela relevância dos “Jogos Cooperativos: uma proposta para mediação de conflitos”, ele foi selecionado para participar do Programa de Desenvolvimento Profissional de Professores da Educação Básica da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), fundação vinculada ao Ministério da Educação (MEC).

Seleção do projeto

O professor foi o segundo colocado entre os seis selecionados na região sudeste na categoria “Anos Finais do Ensino Fundamental. Ele competiu com outros 153 professores de todo o Brasil. De acordo com ele, o projeto tem a proposta de despertar nos estudantes valores como solidariedade, cooperação e respeito às diferenças para melhorar as relações e combater possíveis atritos no ambiente escolar.

“Vivemos em uma sociedade muito competitiva e, às vezes, as pessoas focam na disputa e se esquecem de cultivar valores fundamentais. A ideia principal é despertar nesses jovens a consciência da importância de ser tolerante, de respeitar as diferenças, os próprios limites e os dos outros”, disse o professor.

Durante o aperfeiçoamento no Canadá, Idélcio passa por formações e atividades de desenvolvimento profissional que envolvem aulas de inglês, curso de gestão de projetos e de abordagens centradas no aluno. “Tem sido uma experiência incrível. Esta é a minha primeira capacitação internacional e estar inserido nesta cultura e em um sistema educacional tão diferente nos faz refletir sobre o que podemos aproveitar em nossa rede e o que não se encaixa, sobre o que podemos melhorar, mas também como estamos à frente em alguns aspectos”, disse o professor.


Jogos Cooperativos

Os jogos cooperativos já faziam parte das aulas de Idélcio para os alunos do 6º ao 9º ano, mas eram esporádicos. Agora que as metodologias estão alinhadas em um trabalho escrito, passarão a fazer parte do plano político pedagógico de toda a escola. “Um dos jogos é o “Nó Humano”, em que os alunos se dão as mãos em uma grande roda, e precisam memorizar quem segura cada uma das mãos. Depois andam livremente no meio desse círculo e, em determinado momento, eu peço para pararem onde estão e, sem sair do lugar, dar novamente as mãos às mesmas pessoas. Se eles fizerem isso e colaborarem para que os outros também consigam, é possível voltar à grande roda que foi feita no início”, esclarece Idélcio.

Intercâmbio conta com formações e atividades de desenvolvimento profissional que envolvem aulas de inglês, curso de gestão de projetos e de abordagens centradas no aluno. Foto: Arquivo Pessoal

Programa de Desenvolvimento Profissional de Professores da Educação Básica

A iniciativa faz parte do Acordo de Cooperação formalizado entre a Capes e o College and Institutes Canada (CICan) e tem o objetivo de promover a capacitação de professores efetivos nas escolas públicas das redes estadual e municipal. O programa é dividido em duas partes – a primeira é um curso básico de inglês e a segunda um curso de formação para professores, voltado para a gestão de sala de aula e aprendizagem centrada no aluno. Os educadores têm as despesas de transporte, hospedagem e alimentação pagas pela Capes e pelo CICan e recebem ajuda de custo durante o período em que o curso é oferecido.

Enviar para impressão