Cerca de 280 alunos da rede estadual assistiram ao espetáculo

A aula de artes, desta quinta-feira (6/6), para cerca de 280 alunos de cinco escolas estaduais da capital mineira foi diferente. Eles foram convidados para assistir ao espetáculo “As Palavras do Silêncio”, do mímico francês Laurent Decol, no Teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte.

O convite foi feito pela Aliança Francesa e o objetivo era proporcionar, aos estudantes, possibilidades de apreciação significativa da arte e do universo relacionado a ela, além de apresentar a eles um pouco mais sobre a mímica como uma forma de expressão baseada em gestos e movimentos corporais que podem transmitir pensamentos e sentimentos. Participaram da apresentação estudantes da E.E Maestro Vila Lobos, E.E Henrique Diniz, E.E Maurício Murgel, E.E Professor Morais e E.E Pedro II, além de alunos de escolas públicas municipais de Belo Horizonte.

O diretor da Aliança Francesa em Belo Horizonte, Yves Mahé, deu as boas-vindas aos estudantes e explicou um pouco sobre a mímica antes de iniciar o espetáculo. “O que vamos ver agora é uma arte cuja origem não conhecemos, afinal, o homem sempre se comunicou com gestos e é a linguagem mais natural e evidente que se conhece até então. Vocês vão se dar conta de que o artista é francês, mas vão entender perfeitamente o que ele quer expressar. Embora tenha momentos engraçados, a mímica não é só para fazer rir, mas também para fazer sentir”, disse Mahé.

Cada escola levou um grupo com cerca de 50 estudantes dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio, acompanhados de educadores. Para o professor de química da Escola Estadual Henrique Diniz, Alexandre Costa Barbosa, a atividade foi uma oportunidade para enriquecer o conhecimento dos alunos. “É de grande valia para que consigam sair dos muros da escola e da sua própria comunidade para conhecer outros espaços, outros tipos de arte, outras formas de expressão e de se comunicar”, comentou.

Na plateia, o aluno do 8º ano da escola, Gabriel Gomes Cézar, aguardava, ansioso, pelo início da apresentação. “Achei muito legal vir aqui hoje. Eu nunca imaginei que fosse ver um mímico francês na minha vida e estou gostando, também, por dar um passeio, ter uma aula de artes fora da sala normal”, afirmou.

Na primeira cadeira da fileira, Gabriel assistiu, concentrado, ao espetáculo.

Entre risos, admirações e muitos momentos de silêncio total, o espetáculo agradou a todos os participantes, inclusive, ao artista Laurent Decol. Ele convidou um estudante da Escola Estadual Pedro II para um momento de interação no palco. “Vocês podem não entender o meu idioma, que é o francês, mas tenho certeza de que, com os meus gestos e movimentos, conseguiram perceber o que eu quis expressar. É uma linguagem universal. Vocês foram um público maravilhoso. Agradeço pela oportunidade de me apresentar para tantos estudantes de uma só vez”, falou aos alunos.

O professor de história da Escola Estadual Pedro II, Fabiano Augusto, aprovou a experiência que teve com os alunos. “Achei bastante interessante! Mímica é uma arte que a gente não conhece muito no Brasil. É legal ver os estudantes terem contato com outras referências culturais fora do que é de costume deles”, opinou.

A aluna do 8º ano da E.E Pedro II, Gabriela Gonzaga, falou da alegria em participar da iniciativa. “Achei que ele teve muito carisma para entreter tantos adolescentes durante todo esse tempo. Foi um espetáculo muito agradável e uma surpresa muito boa para mim”.

Palavras do Silêncio

Na série de oito números, o mímico se multiplica em diferentes papeis para apresentar as cenas de “O escultor”; “Nascimento”; “O jardim público”; “O pequeno circo”, “Semente”; “Uma noite mundana” “O Baile”; “O fabricante de máscaras”; e “Bis: o músico”. O espetáculo já foi apresentado em todos os continentes.

Enviar para impressão