Provas da primeira fase acontecem na próxima semana

Cerca de 1,4 milhão de estudantes da rede pública mineira participarão

As provas da primeira fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) serão aplicadas na próxima terça-feira (21/5) em todo o país. Em Minas Gerais, 1,8 milhão de estudantes de escolas públicas e privadas farão os testes. Deste total, 1,4 milhão são alunos da rede estadual e contam com o auxílio das escolas para se prepararem.

Na Escola Estadual Almirante Toyoda as aulas acontecem no contraturno, duas vezes por semana. Foto: Arquivo da Escola

Na Escola Estadual Almirante Toyoda, em Ipatinga, no Vale do Aço, a professora de Matemática, Elaine de Castro Morais, oferece atividades no contraturno focadas na Olimpíada. “As aulas acontecem duas vezes por semana e eu trabalho com eles questões antigas da Obmep. Funciona como se fosse um sexto horário. A escola disponibiliza material e eu trabalho ao longo do ano. Só este ano já trabalhamos mais de 40 questões. Começou na escola ano passado e o retorno foi muito bom. Na última edição conquistamos medalhas e menções honrosas”, conta. Também participam do projeto os professores Edivaldo Marques de Paula e Viviane Guerra Guimarães.

Hugo Gabriel Cardoso Melo é aluno do 7º ano do ensino fundamental e conquistou em 2018 uma medalha de bronze. Para este ano, a expectativa é grande e a preparação mais intensa. “Eu participo do sexto horário e me ajuda muito. Reforça alguns conteúdos que já tinha visto em sala de aula”. O estudante também participa do Programa de Iniciação Científica (PIC), iniciativa da Obmep que contempla alunos medalhistas na competição.

Já na Escola Estadual Felizarda Russano, em Pouso Alto, na região Sul de Minas Gerais, é desenvolvido o projeto Obmep na Escola. A atividade é realizada pela professora de Matemática, Valéria Terezinha Curcinu, e conta com a participação de 30 alunos. As aulas acontecem de 15 em 15 dias.
“Trabalhamos questões do banco da Obmep e outros exercícios pertinentes. O objetivo é melhorar o rendimento dos alunos na olimpíada e temos tido bons resultados também em sala de aula. As questões da olimpíada estimulam e melhoram o raciocínio dos estudantes”, afirma Valéria.

Na scola Estadual Felizarda Russano, em Pouso Alto, acontece o projeto Obmep na Escola. Foto: Arquivo da Escola

Além da preparação que as escolas oferecem, alguns alunos optam por estudar em casa. Esse é o caso do estudante do 9º ano do ensino fundamental da escola, Luiz Gabriel de Carvalho. Em sua trajetória ele já conquistou uma medalha de prata e duas de ouro. Destaque na Obmep, ele dá uma boa dica para conquistar uma medalha na competição. “Quem quer ganhar medalha de ouro tem que estudar bastante e prestar muita atenção na aula. Estudar em grupo com amigos também ajuda.”

Sobre a olimpíada

Destinada a estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, a Obmep é realizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e promovida com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Educação (MEC), com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). A lista de classificados para a segunda fase será divulgada no dia 5 de julho.

Criada em 2005 pelo IMPA, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas tem como metas estimular o estudo da Matemática, revelar talentos – incentivando seu ingresso nas áreas científicas e tecnológicas – e promover a inclusão social pela difusão do conhecimento.